A partir de 2019 E Até Hoje 2

A partir de 2019 E Até Hoje

Na Andaluzia, estima-se que o mal de Alzheimer e outras demências chegam a afetar mais de 105.000 pessoas. Deles, 90 por cento, vive com tua família e em por volta de 40% é dependente total. Trata-Se de uma doença degenerativa marcada por uma deterioração progressiva e irreversível das funções cognitivas que ataca o cérebro e gera como conseqüências limitações de memória, o raciocínio e o modo.

Até o presente momento, foram prontamente construído cinquenta e nove sessões de geração no âmbito desse programa de sensibilização, em que participaram um total de 1.647 pessoas, com uma idade média de 67 anos. Ao lado das ações de dado, trabalha-se com as parcerias na prestação de serviços especializados de atendimento e suporte. A começar por 2009 e até o momento, foram emitidos um total de 37.231 títulos, que correspondem a pessoas beneficiárias das prestações que oferece este cartão (85% são mulheres e 15% homens). Cuidado’ aumentou 6 por cento em ligação ao ano anterior.

Mas cada vez tenho mais claro qual é a minha canção sobre o verão favorita. A mais profunda, sem perder a ternura e encanto e ritmo, assim como. “That summer feeling”, de Jonathan Richman. Eu pergunto-me a ti: como eu Te puseste a raciocinar tão intensamente as férias do primeiro beijo e fita cassete no automóvel e pulseira de fio ou de couro no último dia antes do regresso que você tem posto tristonho? Até que ponto não é tóxica, uma nostalgia muito fotogênica? Jonathan Richman canta a isso: o gramado, as lagoas, os beijos com sabor a Calippo lima-limão (bom, este é meu).

Mas, em vez de fazê-lo de uma maneira acrítica e celebratoria, apresenta um toque formoso. Bem, diz, este sentimento de verão, essa sensação de verão, você vai buscar, vai rir de você, você vai arrebatar a qualquer instante. Que o teu vale, quem sabe, não era tão verde, contudo que era o seu, quando você tinha tudo novo. Que há que buscar outros vales e outros verdes, bem como mais sorvetes e mais beijos e mais piscinas, bem como neste momento. Carlos Pardo Neste verão eu estou retornando a ouvir “The circle jogo”, de Tom Rush, clássico esquecido do 68. Essa mistura feliz de folk e rock com arranjos que irão do country a sinfônico (de Paul Harris).

Uma união inspiradísima e sutil que não se podes retratar assim tão desajeitado. E a voz perigoso e calma do Rush. Um disco com um charme especial, quase todo ele de versões magistrais (de Joni Mitchell, James Taylor e Jackson Browne), e com essa maravilha original do próprio Rush, “no regrets”, versioneada, entre muitos outros, por Scott Walker.

  • Orientador do aluno no desenvolvimento de competências de criação do leitor
  • 4 Da Liga de Di Stéfano e finais de Copa (1970-1976)
  • 22 de fevereiro, 2018 às 8:Vinte e sete pm
  • Em directo: Assim vivem os treinos livres

Uma obra-prima que pode ser lida como a doce história de uma ligação, com suas euforias e quedas de energia, animado, descontente, e luminosa. Alexandre Pombos Um disco para ver de perto a gravação pra noites de verão: “John Dowland, Lute Music 1”, entendido por Nigel North (Alaúde). É como se a solidão fosse habitada de respiração pouco sólida, como se o mal ficasse fora.

Uma canção para guiar o campo ao amanhecer: “Hallelujah”, de Leonard Cohen. Poderia ouvir em loop até ensurdecer. Me dá a vida, é como se eu acunara e me empujara para prosseguir brigando pelos meus sonhos. Um grupo para dançar sozinho pela floresta, como se o resto do universo tivesse acabado: Simply Red. Continuo fiel à fúria ruiva, embora neste instante não estejam. Me renovam o sangue e me esvaziam de agressividade.

Com Simply Red sinto que pertenço, não sei por que, no entanto pertenço. Carmen Posadas Cada verão da minha existência tem trilha sonora. Algumas são românticas, algumas fases, há nostálgico e até mesmo pachangueras. ” de meus tios e a minha música favorita de desse jeito, o calipso de Harry Belafonte de meu pai. Fenomenal. Lorenzo Silva Recomendo, para as pessoas que não a conheçam, a “crooner” argentina Karen Souza. Em seus discos, cada um deles, há versões formidáveis de músicas perturbadoras, que torna ainda mais perturbadoras com a doçura aveludada de sua voz e sua dicção impecável. Passem a valer como o botão de mostra tuas versões de “Tainted Love”, do Soft Cell, “Creep”, do Radiohead, ou “Shape Of My Heart”, de Sting.

Sem esquecer o que ele fez de “Strawberry Fields”, com o impagável reforço Dos Panchos. Gonzalo Fiz, Pois, assim sendo, de cara, recomendo o grupo Hidrogenesse, que eu aprendi muito este ano, primeiro com grande interesse e, depois, com estima. The Machine) e voltou para mim o verão de 1962, no momento em que Ben E. King, a popularizou. É uma peça musical que muda automaticamente a todo o momento o meu estado de espírito. Há cinqüenta anos, o ser humano chegou até A Lua. Para os que presenciamos ao vivo é qualquer coisa memorável.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima