Talvez Me Mandava Uma Mensagem Binário? 2

Talvez Me Mandava Uma Mensagem Binário?

Vejo web claramente diante. Era gigante, amenzadora, uma rede de cordas, dentro de uma selva de informações. Os bits dançaram diante de nossos olhos, o calor seco que exigem os pcs para o teu melhor funcionamento. Tínhamos vivido a toda a hora lá, nos baixos fundos, entre cabos, entre plástico. O blog onde eu a conheci foi a placa mãe e o nosso lar.

Loucura electronica. Vídeo digital. Banjo de bytes e bits. Sozinhos em moradia com o nosso website, que alegria sem semelhante! Estando casados com ela, alguns a querem mais. A experimentam no serviço, a outros lhes vem muito mal. Termos em todos os lugares, palavras de absorver. A bem-aventurada rede imortal.

Documentos sem papel. Enxaguar assimilar. Assinaturas sem traços, transações fictícias.? Pode ser que possa ser, em essência, fonte de nossos males? Consumo segredo, poder oculto. Fugir fugaz, compêndio de matérias virtuais. Jogos pactuados. Negócios fechados. Amores aparados, quem se responsabiliza por tais barbaridades? Vejo internet claramente diante. Era gigante, amenzadora, uma rede de cordas, dentro de uma selva de dicas. Os bits dançaram diante de nossos olhos, o calor seco que exigem os pcs pro seu melhor funcionamento.

Havíamos vivido a todo o momento lá, nos baixos fundos, entre cabos, entre plástico. O web site onde eu a conheci foi a placa mãe e o nosso lar. Vejo web definitivamente diante. Era gigante, amenzadora, uma rede de cordas, dentro de uma selva de dicas. Os bits dançaram diante de nossos olhos, o calor seco que exigem os pcs pro teu melhor funcionamento. Tínhamos vivido a todo o momento lá, nos baixos fundos, entre cabos, entre plástico. O blog onde eu a conheci foi a placa mãe e o nosso lar. Madrid, quase pela hora de comer.Devo escrever um microrrelato.

  • Tartaruga de jardim
  • Distrofias hereditárias do fundo de olho
  • Maldonado, eliminado no Q1: “estamos mal”
  • 2084 Cem durante anos e Depois de 1984
  • Léele. Seu coelho deve saber como soa a sua voz
  • Iwate (岩手)

Em condições normais, não exigiria muito esforço. Meus e-mails mañaneros são: esta manhã, eu empurrei a uma velha para tomar o táxi, antes de regressar ao escritório me cruzei com Amenábar, um universitário pediu-me o telefone na porta dos Correios. Minha pretensão literária é vasto. Mas qual a acompanhar (me comentou) se neste momento todos me conhecem?

às 12 eu situé no canto estabelecida na web. Eu sou a Dama dos camelos – comentou aproximando-se. Você é da Duma? Não, a Pílula – respondeu. Reconheço que me senti orgulhoso dela. Sagaz, como tua mãe. O levaste o kit? Sim, entretanto eu quero o filme do jogo – ele murmurou. Aqui você tem – lhe espeté, dando-lhe uma caixinha cuja fração superior, permitia visualizar o maço. Quid pro quo – alegou, e entregou-me o pó branco. Comecei a pegar o disfarce; primeiro, o bigode e queixo, logo após, os óculos de cego e o chapéu. Ana rompeu a lacrimejar.

Eu esperei que ela se acalme. Pérdóname – alegou – eu te adoro, papai. Eu tenho oitenta anos. Eu vivi com meus filhos por toda a vida, até que me trancou aqui. Este verão instalaram um micro computador na sala de lazer da residência. Nos ensinaram a usá-lo e a se conectar à internet.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Rolar para cima